Das Estradas e outras hervas

21 02 2010

Cidades visitadas e quilômetros percorridos.

  • De:  Brasília -> Primavera do Leste = 790 km (Estrada Boa: EB)
  • De: Primavera do Leste -> Cuiabá = 232 km (Estrada Normal: EN)
  • De Cuiabá -> Pimenta Bueno = 894Km (EN)
  • De Pimenta Bueno -> Porto Velho = 519 Km (Estrada com muitos buracos: EMB)
  • De Porto Velho -> Rio Branco = 505 Km (Estrada com Poucos Buracos: EPB)
  • De Rio Branco -> Iñapari= 390 km (EN). Esta cidade é fronteira com o Peru
  • De Iñapari -> Puerto Maldonado (Peru) = 245 km (EB). Capital de Madre de Dios. Nota: As estradas peruanas são muito bem sinalizadas.
  • De Puerto Maldonado -> Puente Inambari = 160 Km (EB e EMB) Nota: Nas estradas peruanas realmente pouco importam os quilômetros, por causa das curvas pronunciadas, a velocidade diminui muito. É melhor perguntar a alguém a quanto tempo está uma cidade da outra. A distância não faz sentido e sim o tempo.
  • De Puente Inambari -> Cuzco = 300 Km Nota: Depois de Inambari segue a cidade de Makuso (a Estrada é muito boa. De Makuso até a cidade de Marcapata, a estrada é um pouco ruim já que está sendo feita. Há barreiras que não permitem o acceso até certas horas. Geralmente elas abrem a partir das 12h e vão até as 13h e depois abrem às 18h. Evitem viajar à noite. Acreditamos que no mês de Julho as obras concluam. De dia, é muito linda a Estrada.
  • De Cuzco -> Juliaca = 385 km (EB)
  • De Juliaca -> Puno = 49km (EB) Nota: é o melhor lugar para visitar a Ilha dos Uros. Pois na parte Boliviana só existe uma ilha que aparenta ser uma das ilha, mais não o é.
  • De Puno -> Ilo = 396km (EB) Nota: Dormimos na Cidade de Arequipa. Vale a pena ficar três ou quatro dias nesta cidade, é muito bonita.
  • De Ilo -> Matarani = 350 km (EB). Um dos melhores lugares para comer peixe fresco.
  • De Matarani -> San Juan = 630 km (EB) Nota: Acampamos na vila Las Lomas, próximos a Nazca
  • De San Juan – Lima = 540 Km (EB). Acampamos na Reserva de Paracas  em Lagunillas. Lugar muito bom.

Nota: Quando retornarem de Lima a Cuzco, melhor é  o seguinte trajeto:  Lima -> Nazca, e depois seguir em direção a Puquio e assim sucessivamente até chegar a Cuzco. Talvez  seja este um dos percursos mais charmosos das Américas… vale a pena percorrer.





A Culinaria Peruana

4 02 2010

Considerada uma das 5 mehores do mundo, a culinária peruana é muito diversa. Dependendo do bolso, o brasileiro pode provar uma diversidade de pratos. Na região mais fria, o melhor são os caldos ou sopas: Chairo, Timpu de cabeça de Cordeiro. É muito comum, para enganar o estômago, comer um “Choclo com Queso” = Milho com Queijo. O milho é do Vale de Urubamba, e é diferente daqueles que já conhecemos no Brasil, por ter um grão muito grande, com o qual se preparam muitos pratos saborosos que vale a pena provar.

Se quiserem comer peixes, o melhor é deixar para quando cheguem ao litoral. Provem o Ceviche ou Cebiche: de peixe ou com mariscos. O Cebiche no Peru tem fama internacional pelos seus temperos e forma muito especial de preparar. Comam a Jalea de Mariscos, a Corvina a lo macho, Choritos a la Chalaca (mexilhões), tiraditos… e muitos outros!

A melhor cerveja é a CUZQUEÑA,  muito boa por ter sua água vinda dos Andes. Tomem Chicha Morada e o onipresente refrigerante: INKA KOLA. Caso prefiram outro refrigerante, procurem o substituto da Coca Cola, que tem o nome de KOLA REAL: mais barata, em maior quantidade, e mais saborosa.

Sente  saudades do Brasil? Nas principais cidades, há restaurantes gaúchos (ou argentinos). Podem ir e matar as saudades  devorando a  carne.

Outras recomendações “riquísimas”:   Ocopa Arequipeña, a Papa a la Huancaina, o Ají de Gallina ou o Rocoto Relleno. Frequentem obrigatoriamente os mercados centrais, principalmente o de Cuzco e o de Puerto Maldonado. Frutas obrigatórias a comer são: Capuli, Pacae, Lucuma e Tuna. A 20 km de Cuzco, devem comer obrigatoriamente no distrito de Tipón, o famoso CUY. Também devem comer os pratos elaborados com a Quinua e a Kiwuicha. Frequentem o famoso CHIFA: em todas as cidades sempre há um. Chifa é um espaço de fusão da comida oriental e  peruana. Única no continente… nem em NY se come a comida oriental como no Peru. Posso assegurar. A oferta é impresionante. Dependendo do bolso terão melhores qualidades culinárias. Mas geralmente em todo canto sempre encontrarão -ainda que não necessariamente restaurantes lindos – comida muito saborosa. Querem tomar café da manhã? Sugiro um Caldo de Galinha: sempre há no mercado principal. Logo aí terão sucos dos mais diversos. Em geral, os preços são muito bons, a qualidade é de primeira e quem não gostar da comida peruana, que jogue a primeira língua!





Recomendações para viajar

4 02 2010

1. Durante a viagem, evite comer em grande quantidade. Pode se apresentar uma bela oportunidade para baixar de peso. Na altitude, os alimentos são digeridos lentamente.

2. Há postos de gasolina ou diesel por todo o percurso. Alguns deles ficam dentro de uma casa como em Iãpari. Mas parece que a gasolina não é tão ruim.

3. O custo da gasolina foi de 1,50 reais o litro. Desde Brasilia até Lima (6,500 quilômetros) com uma camionete Ranger 4×2. Boa parte dos postos de gasolina no percurso não aceitam cartão de crédito. Troquem dinheiro na fronteira (iñapari), do contrário perderão no câmbio quando adentrarem o país.

4. Comprem roupa de frio em Puerto Maldonado, que é mais barato.

5. Se alguem não gostar de picante (pimenta) é só dizer: “sin Ají por favor”. Não esqueçam do “por favor”

6. É importante ter um bom trato com os policiais, os quais são muito amigáveis. A diferença de outros países latinoamericanos, os peruanos são muito atenciosos. Evitem ser grosseiros ou se mostrar arrogantes…

7. Há crianças que pedem “propina” = gorjeta para que lhes tirem uma foto. Isto é racional. Se nossas modelos cobram, por que elas não..?

8. Tenham cuidado com suas coisas…  Como em todas as áreas turísticas, a prudência sempre é a melhor amiga.

9. Se procuram um bom serviço terão que pagar… Não se queixem, pois a oferta é ampla para todos os bolsos… Possivelmente, por poupar umas quantas moedas, o negócio sai ruim. “Diga-me o que procuras frequentar, e todos saberão quanto tens de grana”.

10. É importante ir com a mente aberta, pois a cultura peruana é muito rica…  os peruanos sempre procuram agradar o estrangeiro. Não abusar é a melhor recomendação. Visitem pelo menos algum museu.

11. Procurem sempre cumprir com as recomendações fitossanitárias do país, pois podem ter problemas com a polícia caso pretendam introduzir alimentos em estado natural.

12. Quando fizerem uma reserva de hotel, tentem cumprir com a data de chegada, do contrário poderá  ser cobrado por esse dia. Tenham em conta que muita gente faz reserva. Caso lhes encaminhem um aviso de saída, não se surpreendam, pois  reserva é reserva. E em qualquer parte do mundo esta é respeitada.

13. Procurem aprender algo de espanhol, pois os atendentes (garçons, taxis, recepcionistas) não têm a obrigação de saber o português, muito menos devemos perder a paciência, pois ninguém pode adivinhar o que nós estamos pedindo. Busquem um intérprete se for o caso.

14. Antes de consumir algum serviço, perguntem direito. (Aconteceu que perguntamos sobre se no contrato de serviço de hotel havia café da manhã= “desayuno”. Eles disseram que sim. O que é obvio aqui no Brasil, no Perú não é. Deve-se perguntar se está incluído no preço da hospedagem o DESAYUNO. Do contrário, terão que pagar o serviço.

15. Evitem manifestar seus preconceitos em público. Tanto no Brasil como no Peru existem problemas sociais como pobreza ou desigualdade. Mais ainda na região do sul do Peru que é a mais pobre. É comum falar de forma pejorativa sobre algumas questões quando não se tem conhecimento a fundo das coisas. Isto nos pode fazer parecer arrogantes e além disso nos mostrar como ignorantes. É permitido comparar mas sem a pretensão de inferiorizar o outro.

16. No Peru, não confiem nos sinais de ultrapassagem, já que lá possuem significados diferentes. Eles não estão errados, simplesmente são costumes diferentes.